Na casca de uma caracol simplesmente lunática... <p> <p> Qualquer semelhança com a realidade é um simples delírio...

Terça-feira, 7 de Novembro de 2006
Insónia

Vens, numa daquelas noites de insónia , de mansinho até mim.
Estamos deitados na cama, na tua cama; estou deitada de costas para ti.
E tu vens de mansinho acariciar-me o peito, só para mostrar que estás acordado e que desejas saciar as tuas vontades:
- Estás acordada?
- Estou...

Sem mais esperas, penetras o meu ser; recuperas o teu tempo perdido e eu... bem, eu não sinto nada...
Fico calada na noite, a observar o escuro.
Entretanto, gemes aflito de prazer e vens-te.
Aliviado, esfregas o teu falo já murcho nas minhas nádegas.

Beijas-me a nuca, viras-te para o outro lado e dormes.

... Continuo acordada...


sinto-me: acordada

publicado por Caracol às 21:35
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006
Collants de vidro

Entrei no teu quarto, tinha vestido uns collants de vidro. Nada por baixo, nada por cima.
Olhaste para mim e estranhaste, estranhaste e viste mais uma diversão sexual.
Mais uma inovação na nossa, porca, alcova.
As tuas mãos sentiram a suavidade das meias que camuflavam a minha pela.
"Deita-te, Puta", estavas frio, excitado e ordinário.
Não o fiz, ao invés, pus-me de gatas. Prontamente, agarraste a minha anca e puxaste-me contra o teu, já despido, falo.
Os collants impediam o desejado coito e mesmo assim repetias, repetidamente, o mesmo movimento prazeroso.
Acariciavas, esfregavas, sentias com a tua mão o meu sexo quente e húmido.
Eu sussurrava o prazer que sentia e gemia o lamento de não te ter dentro de mim. Enquanto tu cuspias elogios ao meu corpo.
"Quero ver a tua rata", virei-me, abri as pernas. os meus pés prendiam, ou tentavam prender, as tuas coxas. E tu masturbavas-te com aquela expressão de velho rebarbado.
Ergui-me, beijei-te, lambi-te, chupei-te o falo duro de vontades.
Voltei a deitar-me, acariciei o meu peito até atingir o orgasmo. Realizei-me a olhar para ti, por e para tua vontade.
Faltou pouco para encharcares os meus collants com a tua essência; na parte onde os collants não ficavam justos ao corpo, o teu prazer pingava...


Ainda tenho os collants vestidos...


sinto-me: Nasty

publicado por Caracol às 22:07
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 11 de Outubro de 2006
Apetece-me amar

Apetece-me amar.
Não interessa quem, pode ser qualquer um.
Apenas não me quero sentir só nesta cama, nesta noite, neste inverno, nesta vida.

Apetece-me amar.
Venha quem vier será bem-vindo.
Beijarei a sua alma como agradecimento.

Apetece-me amar e que finjam que me amam.
Já que fingimos a vida toda sermos felizes, finjamos que pertencemos um ao outro, para sempre!

Apetece-me amar.
Hoje, agora.
Por favor


sinto-me: sozinha

publicado por Caracol às 20:38
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Este caracol
pesquisar
 
Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Caracoladas recentes

Insónia

Collants de vidro

Apetece-me amar

Arquivos encaracolados

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

caracoladas

Histórias do Caracolinho

caracol no espeto

Caracóis amargos

todas as tags

Outros caracóis
Divirta-se com o Sapo
blogs SAPO
subscrever feeds